segunda-feira, 24 de outubro de 2016

Como você se sente hoje, sendo professor ou professora?

Oi gente!

Você consegue imaginar o grande poder que um professor tem, ao praticar seu ofício?
                           
Eu também consigo, mas acho que muitos professores e professoras estão sofrendo de uma baixa auto estima danada….

Primeiro é legal a gente entender que autoestima é uma espécie de avaliação que cada um de nós faz sobre nós mesmos, em relação à confiança, respeito e outros sentimentos que temos sobre nós mesmos. A autoestima pode ser usada para nos avaliar em vários  graus e isso define, por exemplo, como iremos enfrentar as adversidades do cotidiano.

Então sabendo disso eu pergunto:

Como você se sente hoje, sendo professor ou professora?

Eu mesmo já ouvi, ao contar em uma roda de conversa que eu era professor, a palavra “coitado”; e você, já teve alguma experiência dessas?

Uma experiência dessa nem deve chegar a ser desagradável e sim deve servir para analisar e refletir sobre a forma como o meio social vê hoje em dia o professor ou professora como profissional.

Daí que é muito compreensível que,  somando isso e diversos outros fatores como baixos salários, indisciplina, violência dentro da sala de aula, pouco tempo para se aprimorar, entre outras situações muito ruins às quais quase todos professores e professoras estão expostos, se crie um quadro onde eu acredito, muitos de nós já acham “normal” sermos colocados em patamares tão rasos enquanto profissionais do ensino.

Isso acontece também com muitos de nossos alunos; nesse modelo de educação que preza pela competição, quantas vezes alunos já não me disseram: “A professor, sou muito burro mesmo”, “a professor até meu pai fala que sou um lixo”, eu já cheguei a ouvir um papo incrível de uma menina que não largava o celular na aula quando eu perguntei:
-Olha, o que você quer estar fazendo daqui uns 10 anos? no que ela respondeu:
-Eu queria ser professora do ensino básico professor, professora de criancinhas sabe, mas minha mãe diz que sou muito burra pra isso…

Acreditamos que a autoestima do aluno é mais influenciada pela vida pessoal do que pela vida escolar, mas podemos perceber claramente que muitos deles, devido à baixa autoestima, desistem de tentar aprender e muitas vezes aumentam nossos problemas com a indisciplina na aula e isso acontece, porque acham que já não são capazes de aprender.

É engraçado, mas eu preciso dizer que, esse é a mesma explicação que ouço de muitos colegas sobre o uso de tecnologias.”Eu não consigo aprender aquilo”. Que é isso colega, é claro que você consegue! Cada um com sua dificuldade, mas consegue sim, tenho certeza!

De qualquer forma, parece que estamos situações muito próximas.

O dia-a -dia do professor é muito denso, as duras horas de trabalho com os educando podem resultar em satisfação, caso a aula saia daquele jeito que vc preparou, ou podem resultar em insatisfação e baixa auto-estima se o professor encontrar mais do que dificuldades na relação com o aluno. Se a postura dos educandos for de violência, desinteresse, desrespeito, o professor com certeza terá seu emocional abalado.

A intenção do post não é uma análise ou constatação psicológica, mas sim, fomentar na vida cotidiana dos colegas docentes, a admiração por sí que cada um de nós merece!!!!

Você é um professor! Um profissional que inspira e que abre novas rotas de possibilidades na vida e na mente de jovens cuja existência vão ser caracterizadas em grande parte pela atenção, valorização e avaliação que você terá sobre eles; toda história de cada um de nós passa profundamente(ou pelo menos deveria passar) pelo contato bem aproximado com um professor.

Aqui quero indicar a leitura de duas outras postagens do nosso blog que são pertinentes ao nosso tema de hoje. 


Enfim, nós mesmos, professores e professoras de hoje, somos resultados da influência que docentes de outrora tiveram sobre nós na infância, cada um no seu grau e com influências boas ou ruins, mas que ajudaram a nos moldar.

Porém o resultado do nosso trabalho de docente não aparece ao final de um dia, semana e nem de um ano de serviço, pois o resultado vai se desdobrar durante a vida dos alunos e na maioria das vezes nem mesmo vemos este resultado, mas ele estará lá inexoravelmente existindo em cada humano que passou pela sua aula e por isso devemos nos orgulhar pois o nosso trabalho existe e gera influência durante todo o tempo que durar uma vida, ou até mais, pois o que foi ensinado por um professor hoje mesmo, pode ser motivo de uma reflexão feita por um aluno daqui a 50 anos para seu netinho, certamente lembrando da professora ou do professor que ensinara aquilo.

Não tenho nenhuma pretensão em te dizer como elevar sua autoestima caro colega, o mais importante é você saber duas coisas. A primeira é que ser professor já é um motivo enorme para que você se sinta uma pessoa especial e de grande valor e respeito; e a segunda é você saber que a forma com a qual você se vê, se ama e se respeita, vai definir também a qualidade do seu trabalho e a forma com a qual você vai viver sua vida, então já sabe...

Ame-se por ser você e ame-se por ser professor ou professora!!

Abaixo deixo algumas indicações de leitura pertinente ao tema

Ligações entre NANDA, NOC e NICno diagnóstico de enfermagem do termo Autoestima

Disciplina positiva: O guia clássico para pais e professores que desejam ajudar as crianças a desenvolver autodisciplina, responsabilidade, cooperação e habilidades para resolver problemas

Labirinto de espelhos: formação da auto-estima na infância e adolescência




Nenhum comentário:

Postar um comentário